Projeto de Lei apresentado por Alessandra Vieira busca garantir atenção especial no enfrentamento à hepatite aguda infantil em Pernambuco

PUBLICIDADE

A Secretaria de Saúde de Pernambuco (SES) notificou o Ministério da Saúde, nessa quarta-feira (11), o terceiro caso suspeito de hepatite aguda grave de origem desconhecida que tem afetado crianças e adolescentes no Estado. Atenta a essa a essa questão, a deputada estadual Alessandra Vieira (UB) apresentou o Projeto de Lei Ordinária N° 003377/2022, que busca incluir o enfrentamento à hepatite aguda infantil nas diretrizes a serem observadas na elaboração das políticas públicas voltadas à Primeira Infância.

Desde o início de maio, mais de 200 casos foram registrados em 20 países, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), sendo a grande maioria deles no Reino Unido, primeiro país a reportar a doença. A origem da infecção registrada em crianças ainda é desconhecida, mas sabe-se que ela pode desencadear uma série de problemas, incluindo a necessidade de transplante de fígado, e que pode ser fatal.

“É necessário que Pernambuco esteja sempre à frente na prevenção de doenças desta natureza, por isso apresentamos esse Projeto de Lei e esperamos que se tenha uma atenção especial no enfrentamento à hepatite aguda infantil de origem desconhecida em nosso Estado. Já conquistamos nos últimos anos diversas Leis que garantem direitos e proteção às crianças e adolescentes, tenho um compromisso especial com a primeira infância e esse trabalho é constante”, afirma Alessandra Vieira.

FOTO: Daniel Bruno

PUBLICIDADE